Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

KAREN NO CARNAVAL DE 1989 " O INICIO"

" Eu e minha esposa lemos sempre contos eráticos, e sempre que aparecem relatos de troca de casais ou ménage me delicio, insinuando que gostaria de vê-la transando com outro homem na minha frente. Ela sempre diz que não teria coragem, pois, depois que nos casamos, ela nunca mais saiu com outro, porém achava a idéia excitante. A situação não passava de mera fantasia nossa, até que chegou o carnaval. Confesso que não sou muito fã desse tipo de festividade, mas, esse ano, devido à insistência de minha esposa, acabei adquirindo uma mesa num clube, tomando o cuidado de reservar a última do mezanino, onde de um lado tinha uma parede, do outro uma pilastra e, ao fundo, uma janela. Era quase um camarote exclusivo. Assim, de certa forma, teríamos um pouco mais de privacidade, sem no entanto perder a visão completa do salão. Jamais pude imaginar o que tinha reservado. Minha esposa é uma belo exemplar de fêmea, morena, cabelos pretos compridos, seios volumosos, uma bunda de fazer qualquer homem virar a cabeça, coxas grossas bem torneadas, e uma cintura de encaixe perfeito. A meia-noite entramos no clube, cumprimentando os amigos e nos dirigindo para a mesa reservada. Ela usava tênis, miniblusa bem solta, uma curtíssima saia jeans e mais nada. Aliás, isso eu sá vim, “a saber”, mais tarde. Vez por outra, passava um garçom trazendo cerveja. Embalados pelo ritmo da festa, nos divertíamos a mil, até que em determinada hora passei a mão na bunda da minha esposa e descobri o “mais nada...” Ela maliciosamente sorriu e eu já fiquei a meio pau. Minha esposa percebeu e, dando uma indelével passada de mão, também descobriu que eu sá usava a bermuda e mais nada. Embalados pelo som do conjunto, a diversão rolava solta, e eu aproveitando a privacidade do local levantei a parte de trás da sua saia e passei a acariciar aquela bunda que me delicia. Em total aprovação, ela me beijou e eu continuei. Olhando para os seus seios, percebi os bicos intumescidos numa clara demonstração que ela estava cheia de amor para dar aquela noite. Em determinado momento, olhei para trás para ver se a cerveja estava vindo e notei a presença de dois rapazes. Lentamente, abaixei a saia e continuei como se nada tivesse acontecido. Como a cerveja demorava, resolvi ir buscar. Dei um beijo no rosto dela e falei que já voltava, quando me virei para ir ao bar percebi que os rapazes não estavam mais na observação. E fui tranquilo em busca da loura gelada para saciar a sede. No bar, entre um papo e outro com os amigos, acabei me demorando, porém de onde estava podia ver minha esposa. Continuei a conversar com um amigo, e de repente vi que ela não estava mais sozinha. Ao lado dela, um rapaz conversava e sorria. Num dado momento, ela deu um beijo no rosto dele e sorriu, continuando a dançar lado a lado. Eu lá de baixo sá observava, e ela dançava freneticamente, quando, num dado instante, percebi que seus movimentos diminuíram e ela passou a se mexer de um jeito que eu conheço muito bem. Engoli seco o gole da cerveja. Será que o que os meus olhos viam eram a realidade? Mas como podia, se o rapaz estava ao seu lado e ela sorria para ele? Resolvi ver de perto o que estava acontecendo. Sorrateiramente, me aproximei e vi minha fantasia sendo realizada. Quase não acreditei. O rapaz ao seu lado dançava, enquanto um outro se deliciava lambendo a sua bunda, e depois de bem salivada, o rapaz abaixou a bermuda e tirou seu belo pinto . Eu não acreditava no que meus olhos viam. Imaginei que ela não ia deixar, mas, com um jeito que sá ela sabe, o cacete foi entrando. Percebi que de vez em quando ela segurava a cintura do cara e depois deixava que ele a penetrasse. Repetiu esse movimento umas três vezes, até o cacete penetrá-la por completo. O jovem começou o vaivém e, quando parava, ela rebolava, demonstrando total satisfação de estar sendo penetrada. Enquanto isso, eu tomava a cerveja para equilibrar ciúme e satisfação, afinal minha fantasia estava sendo realizada. O rapaz que estava ao seu lado parecia nem se incomodar com o vaivém do amigo e com as reboladas que a minha mulher dava no cacete dele. Olhei para a expressão do rosto da minha esposa e era sá felicidade, estava em puro delírio e parecia começar a gozar. Os ritmos aumentaram e não demorou muito para o jovem gozar também. Para não deixar o jovem ao seu lado sem agradecimento, deu-lhe um beijo na boca. Saí rapidamente e voltei para o bar, pois as cervejas já tinham acabado e eu precisava de outras louras geladas. Voltei tão rápido quanto fui e, quando cheguei, os dois jovens não estavam mais lá. Dei-lhe um beijo e mais do que depressa enfiei a mão na sua bunda e deslizei até sua xana, sentindo-a toda melada. Ela me disse para esperar, pois ia ao banheiro, e pediu a chave do carro, para ir buscar o batom. Dei um tempo e fui atrás. Ela entrou no banheiro, demorou alguns instantes e saiu e em direção ao estacionamento. Lá, ela deu um toque para o outro jovem que já a esperava e foram direto para o meu carro. Abriu a porta, sentou no banco do passageiro e, olhando de um lado para outro, abaixou a calça dele e fez uma chupeta daquela que sá ela sabe. Num dado momento, o jovem tirou o pinto e passou a mamar nos seios dela. Quando ela percebeu que ele estava para gozar, abaixou e levou o gozo nos peitos. Rapidamente o jovem sumiu, eu voltei para nossa mesa e, quando ela chegou com a cerveja na mão, dei-lhe um beijo na boca e enfiei minha mão em seu seio e, novamente me lambuzei com o gozo do outro. Depois, eletrizados, fomos para nossa casa e lá transamos como nunca. Não toquei no assunto, porém, agora ela já aceita transar comigo e outro homem. Quando isso acontecer, volto a escrever

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Mostre minha rola cabeçuda para o cone e falei que ia comer sua mulher quando eróticoscontos porno professora e a tiaconto erotico gay rola grossa contos eroticos comendo minha vovozinha na chantagemstrip poker contocontos chera calcinha de transcontos erotikos menina de menor dando o cu a troco de balacontos eroticos fazendo troca troca quando meninocache:EnM_VFS8--EJ:tennis-zelenograd.ru/m/conto_16490_primo-do-interior.html contos erotivos gay levando pau do diretorminha cunhada mim chamo pra trnzaro pastor passou a noite com a lingua ná minha buceta e eu na mulher dele contoeu sou solteiro eu sempre eu tive vontade de fuder o bucetao e o bundao da minha sobrinha de 19 anos de idade eu tava no meu carro com a minha sobrinha eu levei ela pro motel conto eróticoconto erotico de mulher casada socando o pepino na buceta e cenoura no cucomo tira pedra da teta sem para de tanto se matusbarcontos anal com pau animalescoContos erotico me exibi pro taxistaCorno leva a mulher ao cinebolsoconto obrogafa a servir nua e. lanchoneyefomos cem calcinha e fomos fodida por puzudos dotafos no bar contoconto erotico gay: meu amigo japa dotado rasgou meu cucontos eróticos eu estava com um capo de fusca muito inchadocontos enventei um sequestro ora comer minha maecontos eróticos ai fode ai fode porraconto de estrupo de praticinhaFoderam gente contos tennscontos os sequestradores fizeram comer minha mae para comercontos eroticos de irmã que só dar ao irmãocontos eroticos de homens bicontos erpticos de filho bem dotadoContos pornos-mostrei o pau duro pra minha maecontos eroticos sequestroconto erotico com meu sogro peladocontos levei uma rolada do meu filhoescrava sexual contos eroticos tenniscontos eroticos gay o namorado da minha irmacontos de cú por medoconto erotico um noite magica com muitas bucetascontos eroticoscasada na massagemsobiu no cu delacontos porno travestis estupros sadomazoquismocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos eroyicoa muito rabudaMeu marido dirigindo eu no banco de tras chupando a picanovinho sofrendo na rola do pai bebado contos gaycontos eróticos da casa dos contos com histórias traição as fazendeira casada safadapenis entandrovoyeur de esposa conto eroticocontos eoroticos incertos de brunoDesvirginando a sobrinha de 18 anoscontos erotico a mulher feiacontos eroticos-fui malhar com minha tia e acabei comendo o cu delaContos entiadas apanhando para submeter ao sexoconto grelo e pau grossoConto erotico forçado com animalconto erotico com tia da bibliotecalevando minha sobrinha pra escola acabei comendi contosmenina.de.dez anos usano fiu dental contos.eroticosConto erotico de a massagemConto erotico de garotas transando com desconhecidoconto meu sogro assedioucontos eroticos dono de mercearia comendo a casadacontos eroticos em audio de envangelicas que gostam de dar o cufoto de sexo conto eroticos da minha sobrinha pimentinha parti 1Conto erotico e familha tio pega a sobrinha peladinhacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaesposaevelhopornocontos eroticos seduzi meu cunhado e tomei sua porraquero história de homens vizinho um comendo o cu do outro pulando muro à noiteconto esposa viu amigo nucontos eroticos sequestro eu e minha amigacontos coroas as quetascont erot padrinho meteu tudoFoderam gente contos tennsconto eroticos virei esposa do meu irnaofode a mulher do irmao para provar que ela é uma putaContos de incesto menina pequena com medo da chuvatravesti delicia de juiz de fora sendo enrabafotos porno renata zoo contossou casada realizei o desejo de dar o cu com outro contos contos meu primo me comeudormindoconto mae dando pro filho no carrocontos eroticos -FILHA tarada pelo Paivedio porno torcado pau no cu safado velhos dormindo novinhacontos eroticos abusada levando tapaconto erotico fudendo a velhaO dia que sequestrei minha neta conto eroticobeijos suculentos com babinhaconto quente minha esposa deu para o mendigo